Uma equipe à imagem e semelhança do líder

Alguns gestores apresentam uma necessidade de criar um equipe à sua imagem e semelhança. Eu até entendo, porque imagine a facilidade para gerenciar. Já pensou o quanto é mais tranquilo que a sua equipe esteja alinhada à sua competência técnica, às suas habilidades e também ao seu perfil comportamental? Pois é, essa medida é até possível, sim, mas por um outro lado; o cenário fica engessado e aí pode acabar comprometendo os resultados.

O primeiro passo importante é selecionar profissionais que estejam alinhados com os valores da empresa e do gestor. Da mesma maneira que fazemos nas nossas relações sociais. Mas existem outros critérios importantes: a competência técnica do profissional e suas habilidades. As hards skills e as soft skills, como temos abordado nesses últimos tempos.

Lembrei de uma história de quando o gestor de uma empresa me contratou para fazer uma consultoria no seu departamento comercial. A queixa era: a equipe trabalhava bem em conjunto, sem atritos, a liderança tinha uma boa relação com todos, havia entendimento de todas as partes, mas não conseguiam atingir a produtividade esperada de uma equipe comercial.

Depois de um tempo que eu passei mapeando o perfil da equipe, composta por 09 pessoas, percebi que todos tinham habilidades muito parecidas e o que se sobressaía naquela equipe era um comportamento  normativo, protocolar e cauteloso, antes de qualquer decisão, o que acabava levando tempo para colocar estratégias em prática. E duas habilidades mais importantes numa equipe comercial estavam faltando: capacidade de correr riscos e negociação.

No fim o gestor percebeu que precisava fazer algumas mudanças, para obter os resultados que espera. Depois de 06 meses me telefonou e disse quanta coisa havia mudado para melhor, desde a minha passagem por lá.

O que a gente percebe, é que é fundamental mapear os profissionais, para entender quem tem o perfil para ficar nos bastidores e aqueles que vão ficar na linha de frente lidando com os clientes.

Nesse caso que acabei de contar, claro que dentro de um equipe comercial é preciso alguém de perfil cauteloso, até para estabelecer limites. Mas precisa também de pessoas que tenham um perfil proativo, com criatividade, com disposição para negociar e correr riscos.

Esse sempre será o maior desafio de um líder: desenvolver a sua habilidade de gerenciar perfis comportamentais/profissionais diferentes.

Teste vocacional orientação de carreira coaching em salvador

*Cristiano Saback é um entusiasta de pessoas. Atua como consultor de carreira, orientador vocacional e palestrante há mais de 20 anos. Atende clientes que buscam desenvolvimento profissional e motivação para resultados. Formado em comunicação, é também  pós-graduado em psicologia analítica, em psicopedagogia e em potenciais da imagem. Além das suas formações em assessment e  em análise comportamental. Apresenta o programa Carreira & Sucesso na Educadora FM, diretor do Instituto Inteligência Interpessoal e dá palestras e treinamentos para pequenas, médias e grande empresas. Entre seus maiores clientes: Natura, Claro, OAB, Embasa, Sheraton, etc. Como consultor de carreira atende profissionais das mais diversas áreas como: medicina, jornalismo, artistas, engenharia, políticos, enfermagem, área comercial, gestores, apresentadores(as), advogados, empresários(as), etc. Toda a sua experiência, com empresas e profissionais cria uma bagagem de informações importantes, que ajudam muito no trabalho de consultoria que desenvolve com seus clientes.

Você pode entrar em contato para evoluir na sua carreira, posicionar-se melhor no mercado de trabalho ou na empresa que você trabalha. Atendimento presencial e online (com desconto). É só enviar um e-mail no formulário no fim dessa página.

*Os fatos são reais. Os nomes e locais onde ocorreram essa experiência são modificados.